Episódio 2 do Mahabharat: A origem dos Chandravamshis

No primeiro episódio, vimos como Brihaspati, o sacerdote de Indra e Guru dos Devas, andava por aí a namorar, e a sua negligenciada esposa Tara se apaixonou pelo o deus da lua, Chandra. Brihaspati enfurecido amaldiçoou o filho de Tara e Chandra a não ser nem homem, nem mulher. Budha, que representa o planeta Mercúrio, nasceu.
Mahabharat Episode 2: The Origin of the Chandravamshis
 

Mahabharat All Episodes

చంద్రవంశం ఎలా ఆరంభమైంది..? – మొదటి భాగం

Rei Sudhyumna vai à caça

Sadhguru: Um dia, o rei Sudhyumna foi caçar na floresta onde Shiva e sua esposa Parvati moravam. Olhando para os animais, ela disse por capricho: “Meu amor por você é tal que sinto que esses elefantes machos, esses leões com suas imensas jubas, esses pavões com suas plumas fabulosas são um insulto para você. Eu quero que você faça esta floresta de tal forma que não haja outro macho além de você”. Shiva estava com um humor romântico. Ele disse, "Ok. Que tudo nesta floresta se torne feminino. Tudo na floresta se tornou feminino. Os leões se tornaram leoas, os elefantes machos se tornaram elefantes fêmeas, os pavões se tornaram pavoas, e o Rei Sudhyumna se tornou uma mulher!

Ele olhou para si mesmo - um rei corajoso que veio caçar na floresta, de repente se tornou uma mulher. Ele gritou: “Quem fez isso comigo? Qual yaksha, qual demônio, me amaldiçoou assim? Em grande desânimo, ele procurou ao redor. Então ele encontrou Shiva e Parvati em romance. Ele caiu aos pés de Shiva e disse: "Isso não é justo. Eu sou um rei. Eu sou um homem. Eu tenho uma família. Eu só vim caçar, e você me transformou em uma mulher. Como posso voltar assim?" Shiva disse: "Eu não posso desfazer o que fiz, mas posso corrigir um pouco. Nós faremos isso de tal forma que quando a lua estiver minguante, você será uma mulher. Quando a lua estiver crescente, você será um homem".

Nasce a Dinastia Chandravamshi

Mahabharat Episode 2: The Origin of the Chandravamshis

Sudhyumna recusou-se a voltar para o seu palácio. Ele ficou na floresta e ficou conhecido como Ela, aquele que durante a metade do mês era homem, durante a outra metade do mês era mulher. Um dia, aconteceu que Buda e Ela se conheceram. Foi uma combinação perfeita. Ambos eram masculino e feminino em igual medida. Entre eles, eles tiveram muitos filhos. Essas crianças se tornaram os primeiros Chandravamshis.

Chandravamshis são diferentes a cada dia. Eles são muito emotivos, artísticos e pouco confiáveis

Na tradição dos reis deste país, há Suryavamshis e Chandravamshis - descendentes do Sol e descendentes da Lua. Eles são distintamente diferentes tipos de pessoas. As pessoas do Sol são conquistadoras -  pessoas perspicazes, do tipo preto no branco. Chandravamshis são diferentes a cada dia. Eles são muito emotivos, artísticos e pouco confiáveis

O maior dos Suryavamshis era o próprio Manu; então veio Ikshvaku. Abaixo da linha, havia muitos - como Bhagiratha, Dasharatha, Rama de Ayodhya e Harishchandra. Aqui, falaremos sobre os Chandravamshis porque os Kurus são principalmente Chandravamshis. Isso explica suas crises emocionais, a partir das quais eles agiram.

Nahusha - De Imperador a Píton

Um dos filhos de Buda e da Ela era Nahusha, que se tornou um grande imperador. Uma vez, ele foi convidado para Devaloka, o palácio de Indra. Indra teve que ir a algum lugar, então ele disse a Nahusha: "Cuide de meu Devaloka por algum tempo. Fique aqui, divirta-se e administre bem o lugar.” No momento em que Indra saiu, Nahusha ficou orgulhoso demais dessa pequena tarefa que lhe foi dada, para cuidar do lugar enquanto Indra estava fora. Ele sentou-se no trono de Indra. Chamou praticamente qualquer apsara que quisesse.

Isso não foi o suficiente - seus olhos se voltaram para a esposa de Indra, Shachi. Ele começou a forçá-la: “Agora estou sentado no trono. Eu sou Indra. Você é minha.” Ela tentou evitá-lo de várias maneiras, mas ainda assim ele tentou forçar-se sobre ela. Shachi disse: “Sim, agora você é Indra. A única coisa é que os Sapta Rishis, os sete sábios, devem levá-lo até mim em um palanquim. Então eu serei sua". Nahusha ordenou ao Sapta Rishis que o levassem em um palanquim até o palácio de Shachi, o que eles fizeram.

Nahusha cai de Devaloka

Ele estava cheio de orgulho e com muita pressa. Ele sentiu que eles não estavam andando rápido o suficiente. Então ele chutou Agastya Muni, que estava segurando o lado direito do palanquim, na cabeça e disse: "Vá mais rápido". Agastya olhou para ele e disse: “A coisa toda subiu na sua cabeça. Você se tornou tão vil que não é adequado apenas para estar em Devaloka - é inadequado até mesmo para ser um ser humano. Torne-se uma píton. ” Uma píton é um animal muito vil. Nahusha caiu de Devaloka na forma de uma píton. Voltaremos à píton mais tarde.

Nahusha teve filhos - os dois importantes são Yati e Yayati. Yati é conhecido por seu caráter e seu intelecto fenomenal. Ele deu uma olhada no mundo e disse: "Não quero ter nada a ver com isso", retirou-se para o Himalaia e tornou-se um asceta. Yayati se tornou um rei.

Devas e Asuras em constante batalha

Como já mencionado, Brihaspati era o sacerdote dos Devas, e fazia rituais para eles. Shukracharya era o sacerdote dos Asuras. Os Devas e asuras lutavam constantemente nas planícies do Ganges. Os Devas estavam tentando descer das regiões mais altas, e os Asuras estavam tentando subir do deserto para as terras preeminentes mais férteis da Índia. Nessas batalhas constantes, os Asuras tinham uma vantagem - eles tinham Shukracharya. Ele tinha imensas capacidades. E ele tinha o poder de Sanjeevini. Com o mantra Sanjeevini, ele poderia reviver quem quer que tivesse morrido na batalha.

No final de cada dia, todos os asuras que tinham morrido na batalha eram revividos e, novamente, eles estavam prontos para lutar na manhã seguinte.

No final de cada dia, todos os Asuras que morreram na batalha eram ressuscitados e novamente estavam prontos para lutar na manhã seguinte. Como você luta contra um exército como esse que, se você os mata, eles não ficam mortos? Por causa de Shukracharya, eles eram ressuscitados de novo e de novo. Os Devas estavam desesperados. Então o filho de Brihaspati, Kacha, desceu até Shukracharya, curvou-se diante dele e disse: "Eu sou o neto de Angira, e o filho de Brihaspati. Eu venho de uma boa linhagem. Por favor, aceite-me como seu discípulo.”

Kacha Torna-se o Discípulo de Shukracharya

Os Asuras avisaram Shukracharya, "Esse cara é do campo oposto. Obviamente, ele veio para aprender o segredo de Sanjeevini. Vamos matá-lo agora. ”Shukracharya disse:“ Não, o garoto não fez mal a nós. E ele tem as qualificações necessárias para ser meu discípulo. Não posso recusá-lo. ” O dharma do dia disse que se alguém merece ser ensinado, não pode ser recusado.

Kacha foi recebido como discípulo e provou ser um discípulo digno. Ele serviu ao seu mestre, recebeu todas as instruções e fazia parte de tudo. Shukracharya tinha uma filha cujo nome era Devyani. Devyani olhava para esse jovem e lentamente se apaixonou por ele. Mas ele não estava focado nessa jovem. O que quer que ela fizesse, ela não conseguia chamar a atenção dele nem por um momento. Ele não podia ser distraído do propósito para o qual ele tinha vindo, e os Asuras sabiam que ele tinha vindo pelo Sanjeevini.

Os Assuras atacam Kacha

Um dia, Kacha estava pastoreando o gado de seu mestre na floresta. Os Asuras o atacaram, mataram, cortaram em pedaços e o jogaram aos animais selvagens. Quando à noite, apenas as vacas voltaram, mas não o garoto, Devyani ficou com o coração partido. Ela foi até o pai e chorou: “Kacha não voltou. Alguém fez algo com ele. Onde quer que ele esteja, você deve trazê-lo de volta à vida.” Atendendo ao apelo de sua filha, Shukracharya usou o Sanjeevini para trazer Kacha de volta à vida.

Cedendo ao apelo da filha, Shukracharya usou o Sanjeevini para trazer Kacha de volta à vida.

Quando lhe perguntaram o que aconteceu, Kacha descreveu como os Asuras o atacaram e o mataram. Shukracharya disse: “Tenha cuidado. Os Asuras não gostam de você, porque você é do campo inimigo. Ainda assim o estou tratando como meu discípulo. Depois de alguns dias, Kacha foi colher flores para o culto matinal. Os Asuras o agarraram, mataram, moeram sua carne e ossos, misturaram com água salgada no mar, moeram seus órgãos e misturaram um pouco disso no vinho de Shukracharya. Sem saber, Shukracharya bebeu.

Quando Kacha novamente não apareceu à noite, Devyani gritou. Mas Shukracharya disse: “Parece que seu destino é estar morto. Ele está morrendo com muita frequência. Não faz sentido trazê-lo de volta. Alguém da sua inteligência, alguém da sua criação, alguém da sua exposição à vida não deve estar chorando pela vida e pela morte. Isso é algo que acontece com toda criatura. Deixe-o estar morto. Ressuscitar alguém com muita frequência não é bom.Mas Devyani estava com o coração partido. "Ou Kacha volta ou eu vou me afogar no lago." Não querendo permitir que isso acontecesse, Shukracharya disse: "Vamos fazer isso uma última vez."

Kacha aprende o mantra de Sanjeevini

Quando Shukracharya tentou usar o mantra, sentiu um estrondo no estômago. Era Kacha. Shukracharya ficou furioso. "Quem fez isso? Isto também é trabalho dos Asuras? Como eles podem fazer isso? De dentro do seu estômago, Kacha narrou toda a história - como os asuras o mataram, moeram, misturaram com água salgada, e como eles pegaram os órgãos, moeram e misturaram um pouco com o vinho. Shukracharya ficou muito bravo.“Isso está indo longe demais, que eles agora o coloquem em minha barriga. Ou tenho que deixá-lo ficar morto ou, se eu o trouxer de volta à vida, tenho que morrer.” Ele pensou: “Talvez eu deva renunciar a este trabalho e me juntar aos Devas. Estou sendo tratado muito mal. Como se atrevem a colocar este garoto na minha barriga? “ Mas Devyani chorou. Ela disse: “Não estou disposta a viver sem Kacha nem sem você. Se um de vocês morrer, eu me afogarei.

“Quando ele estava partindo, Devyani disse: “Você não pode partir. Eu o tenho amado.”

Shukracharya disse a Kacha, "Você teve sucesso na missão para a qual você veio. Você queria conhecer o segredo de Sanjeevini, e você é um candidato merecedor. Agora vou ensiná-lo a você. Então vou usá-lo para revivê-lo. Você sairá do meu corpo, o que me deixará morto. Então você usa o mantra de Sanjeevini, me traz de volta à vida e começa uma nova vida em outro lugar. Shukracharya usou o mantra de Sanjeevini, e como uma lua nascente, Kacha cresceu em seu estômago e saiu dele. Shukracharya caiu morto. Um grito saiu de Devyani. Então Kacha usou o mantra de Sanjeevini e trouxe Shukracharya de volta à vida.

Quando ele estava partindo, Devyani disse: "Você não pode partir. Eu o tenho amado". Mas por mais que ela suplicasse, Kacha disse: "Eu sou discípulo de seu pai. Nesse nível você é como minha irmã. Outra coisa é que eu acabei de sair do corpo de seu pai, então ele também é minha mãe. Assim também você é minha irmã. Então não há como," e ele se afastou.

A continuar...

More Mahabharat Stories

 

Nota do editor: uma versão deste artigo foi publicada originalmente em Isha Forest Flower, maio de 2015. Faça o download em PDF com base no "nome seu preço, no mínimo" ou assine a versão impressa. Faça o Download em PDF com base no "nomeie seu preço, sem mínimo" ou assine a versão impressa.