Qual é a fonte do conhecimento de Sadhguru?

Um buscador pergunta a Sadhguru sobre a fonte de seu conhecimento e sabedoria.
What is the source of Sadhguru’s knowing?
 

 

P: Sadhguru, seu conhecimento parece ser inesgotável. Tudo isso está gravado em você ou você está apenas recebendo de algum lugar?

Sadhguru: O karma é registrado de várias maneiras: em termos de memória, sensações, fisiologia e energia. Da mesma forma com o conhecimento, algumas coisas são transmitidas a você no nível da sua mente, outras no nível do seu corpo. Você vê como uma vez que você sabe nadar, o seu corpo sabe disso? Se você cair na água, você irá nadar. Você não precisa se lembrar de andar de bicicleta. Uma vez que você sabe como, se você se senta na bicicleta, ela simplesmente vai. Mesmo que você não ande de bicicleta por vinte anos e depois suba em uma, você pode estar um pouco desequilibrado no começo, mas depois vai embora, porque a memória está no corpo. Não está mais na mente. A transmissão também está em muitos níveis diferentes.

Não carrego o fardo desse conhecimento quando ando na rua. Eu não sei nada, mas ao mesmo tempo, eu sei tudo. Se você me perguntar algo relacionado com as dimensões interiores de um ser humano, eu saio com a resposta, sem qualquer hesitação, com absoluta clareza. Mesmo que alguém diga que o Gita está dizendo outra coisa, eu simplesmente direi que talvez Krishna não saiba. O que posso fazer a respeito? É tão claro como cristal dentro de mim que não pode ser de outra forma. Não é que Krishna não saiba. É que talvez você não seja capaz de ver o que ele está dizendo.

 

Informações armazenadas em energia

Isto não vem da lembrança. Isso foi transmitido de uma maneira diferente. Minha associação com meu o Guru foi apenas por alguns momentos. De alguma forma, ele nem sequer queria me tocar com o pé. Ele me tocou com sua bengala. O que não pode ser aprendido em dez vidas foi transmitido em um momento. Estava tudo lá. Não se tratava apenas de conhecer a mim mesmo. Era também sobre várias tecnologias, sobre como e o que fazer em cada aspecto, com absoluta clareza. Quando é transmitido assim, na forma de energia, não na forma de memória ou compreensão lógica, o fardo do conhecimento não fica sobre você. Essa é a diferença.

Seu sistema de energia, ou pranamaya kosha, carrega volumes estupendos de informações que são tão fáceis de transportar e não são penosos. É tão simples.

 

As pessoas que estudaram o conhecimento tornam-se pesadas com ele. Elas se tornam sérias. As pessoas estudadas não podem nem mesmo rir normalmente, mas alguém que vem de sua realização - ele sabe, mas o peso do conhecimento não permanece em sua cabeça o tempo todo. Ele o carrega muito levemente, porque esta é uma tecnologia completamente diferente.

Desde os dias da tábua de pedra até os microchips de hoje, já se foi um longo caminho. No momento em que começamos a produzir um livro, um milhão de tábuas de pedra poderia entrar em um único livro. Agora, um milhão de livros podem entrar em um CD e um milhão de CDs podem entrar em um chip. E o que é armazenado em um bilhão de chips pode ser armazenado em um determinado arranjo de energia. Não sei se a ciência moderna está trabalhando nessa direção, mas um dia a ciência encontrará maneiras de armazenar informações em um arranjo de energia. Eu sei disso claramente, pois essa é a realidade dentro de nós. Seu sistema de energia, ou pranamaya kosha, carrega volumes estupendos de informações, que são tão fáceis de transportar e não são penosos. É tão simples.

P: O que quer que você esteja falando agora  está registrado em algum lugar do seu sistema energético?

Sadhguru:  O que já está registrado é o que está sendo falado e o que está sendo falado não é algo em que estou pensando e falando. O que está sendo falado é o que é a vida. É gravado o tempo todo, em qualquer lugar. Não precisamos regravá-lo novamente. Isso sempre esteve lá. Se eu existo ou não, a Verdade é; está sempre lá. Podemos conversar sobre isso, se você quiser, ou podemos apenas ver como é. Não se preocupe, isso nunca será perdido.

 

Nota do editor: Este artigo foi extraído de "Reflexões místicas". Leia a amostra grátis [pdf] ou adquira o e-book.