O Cego e a Lâmpada - Uma História Zen

Os rituais são parte integrante da cultura Indiana. Mas os rituais ainda são relevantes ou é apenas como um cego carregando uma lâmpada?
একজন অন্ধ ব্যক্তি এবং একটি বাতি - একটি জেন গল্প
 

História: Um cego ficou com o amigo por alguns dias e depois partiu para sua cidade natal no meio da noite. Seu amigo lhe deu uma lanterna acesa, mas o homem protestou: "Por que preciso de uma lanterna? Tudo é o mesmo para mim. Para alguém que é cego, qual é a utilidade de carregar uma lâmpada?"

"Meu querido amigo, isto não é para você; isto é para a pessoa que vem na sua frente. Se você tiver esta lâmpada na mão, a pessoa que vier na sua frente não esbarrará em você."

"Nesse caso, eu levarei", disse o cego.

Ele pegou a lâmpada e começou a andar no escuro. Apesar disso, alguém colidiu com ele descendo a estrada. O cego perdeu o equilíbrio e caiu. Ele ficou bravo e perguntou: "Por que você esbarrou em mim? Eu tinha uma lâmpada comigo - você não pode ver aonde está indo?"

"Que lâmpada? Não vejo nada", disse o homem que esbarrou nele, e olhou em volta.

Então ele encontrou a lâmpada e disse: "Ah, sim! Há uma lâmpada aqui, mas a chama se apagara há muito tempo, meu caro amigo."

Sadhguru:O homem segurava a lâmpada nas mãos pela luz que ela dava. Segurá-la alto e caminhar mesmo depois que a chama se apagou é apenas um ritual sem sentido. Muitas coisas que começamos em nossa vida com um propósito perderam sua qualidade original e continuam como meros rituais.

Existe uma certa tradição em Karnataka. Se comida não vegetariana for servida a um hóspede na casa de alguém, eles manterão um pilão ao lado da folha em que a comida é servida. Perguntei a muitas pessoas o motivo disso, mas elas não sabiam. Depois de perguntar a várias pessoas idosas que eram bem versadas na cultura, descobri a resposta.

Antigamente, a tradição era manter um palito pequeno ao lado da folha como um palito de dentes, caso a pessoa ficasse com algo preso entre os dentes. Com o passar do tempo, eles substituíram o pequeno palito de dentes por uma vareta e, em seguida, algum tolo começou a colocar um pilão em vez de um palito. Mais tarde, essa se tornou a prática padrão sem que ninguém pedisse uma explicação. Alguém pode usar um pilão como um palito de dente?

É assim que criamos certos processos para beneficiar nossas vidas. Mas quando nos esquecemos de por que esses processos foram fundamentalmente criados e começamos a seguir as coisas simplesmente porque nossos avós e pais o fizeram, isso se torna um mero ritual. Porque não entendemos por que algo foi feito em nossa tradição, geração após geração, estamos confusos quanto à necessidade ou não disso em nossa vida.

Como um cego carregando uma lâmpada, certas ferramentas que foram criadas para nos guiar em nossas vidas se tornaram superstições. Já é tempo de entendermos seu verdadeiro propósito e transformá-las em lâmpadas para nos guiar em nossas vidas. Caso contrário, devemos pelo menos criar novas ferramentas para nos guiar.

Nota do Editor : Leia esse artigoonde Sadhguru explica o que é o Zen e como ele se tornou um meio tão eficaz para o Supremo.